Boas Vindas !

Há alguns anos venho percorrendo, de moto, alguns caminhos. Em especial em nossa Linda América. Aqui tenho pequenos relatos, fragmentos destes passeios. Eles foram feitos com o intuito de preservar um pouco do que eu vi. Um pouco do que eu vivi.

Agora, com poucos cliques, revejo caminhos... Selvas, desertos, gêiseres, caminhos patagônicos, geleiras, lagos, canyons, entranhas da terra... relembro de ares gelados de madrugadas altiplânicas...

De tudo o mais importante: revejo olhares e relembro atitudes de gentes que serão para sempre parte de minha vida. Ao viajante que passar por aqui espero que goste.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

DIRECCIÓN SUR - DIA 24.12.2011 - CIPOLLETTI, ARG A TEMUCO, CL.

Dia 24.12, De Cipolletti, Argentina até Temuco, Chile (Pelo Paso Icalma).

Gafanhotos gigantes, alheios a minha passagem, sugam da terra, com uma voracidade monótona e incansável um “néctar negro e viscoso”. Este “néctar” é prospectado das profundezas da terra. Creio que eles, os “gafanhotos gigantes”, estão proibidos de prestar atenção em qualquer um. Os homens poderosos, seus proprietários, devem ser bem exigentes. Digo isto porque ainda que os fotografe e até os filme, nada faz com que interrompam o trabalho que desenvolvem o qual segue em uma rotina que aborrece (vejam os gafanhotos gigantes” nas fotos e pequeno filme que fiz).

Eu não imaginava, ao amanhecer, o quanto de determinante seria este dia, nesta atual aventura. Saio de manhã e percebo uma pequena mudança na paisagem. Evidencia-se uma grande aridez na rica Província de Rio Negro. Local onde estou trafegando. E, ao mesmo tempo, sequências de postos de prospecção de petróleo (os “gafanhotos gigantes) sinalizam, ao contrário da aridez, a opulência, a riqueza da província em comento. Segue pela “carretera” a incômoda falta de combustível. Em algumas “estación de servicio” (postos de combustíveis) observo até sete quadras de “colas” (filas). É paradoxal. Falta “nafta” (gasolina) em uma província produtora de petróleo !!??

Está situação enfrentada está atrasando sobremaneira minhas andanças. Determino, neste instante, que vou sair da Argentina. A região é pródiga em “pasos” (locais de aduana). A grande maioria por estradas de terra. A terra aqui é o famoso, temido e adorado (por aventureiros) rípio. Estes caminhos, de regra, são os que mais evidenciam encantos, em termos de belezas naturais. Minha idéia era contornar, por rípio, a região dos Lagos, antes de me dirigir a Carretera Austral. La “molestia” (o aborrecimento) em razão dos problemas decorrentes da falta de combustível determinam minha decisão de sair, o mais rápido possível, em direção ao Chile. Resolvo que vou em direção ao Paso de Icalma, passo pelo Lago Aluminé e sigo em direção a Temuco-Cl. Uma vez que já estou no meio da tarde a decisão me parece acertada diante da proximidade deste “paso”.

Sigo aproveitando os belos trajetos das estradinhas do interior da argentina, aproveito a pilotagem que a XT660R permite que se desenvolva com um certo conforto. Sem desprezar o peso e o cuidado adicional pela utilização dos bauletos laterais e top case que carrego (explicito aos que não são afetos a motos que os bauletos e os top case são as minhas “malas de abs”, acomodadas na motocicleta).

Estou desfrutando da paisagem e da viagem.

Sou ultrapassado por uma grande camionete (eu acho) e penso ter levado um tiro.

Fico, por instantes, desorientado. Isto é suficiente para que eu saia da trilha relativamente segura, onde as pedras são/estão mais “batidas” e entre numa área de rípio fofo, alto, e grande. A desorientação pelo “tiro” (uma pedra em meu capacete) termina, poucos segundos, após a inevitável queda.

E ai tudo muda nesta aventura.

Sigo com o relato final no próximo post.

Por dever de amizade e respeito para com todos os meus queridos queridos/as amigos/as, e para a tranqüilidade de todos, explicito que, no momento em que estou postando este texto e fotos , vejo da janela de meu apartamento, em minha agradável terra missioneira, uma bela tarde de sol. É onde, no momento, me encontro. Adianto a todos que pilotei até a terrinha, sob as “bênçãos de Sepé”, com uma “fratura de arco costal esquerdo” (costela), um pé “meio amassado”, a bunda dolorida e o corpo ainda com efeitos da tensão do ocorrido. Já estive no meu médico. Já fui chamado de sortudo por ele. Fui orientado a não fazer o que fiz (pilotar nas condições indicadas, sem antes ter uma análise médica de fratura na costela que pode ser fatal e que explicitarei no próximo post).

Este “fato” (o estar em casa) o consegui após três dias de pilotagem (desde Temuco, Chile), com a valente “Ruivinha III” que, ao final, ficou com faróis e bolha quebrados, sem cobertura na central eletrônica, ECU (um escalpo parcial), e sem as carenagens frontais (todos “rotos” - quebrados). Mas, como sempre, valente e funcionando perfeitamente bem, demonstrou, uma vez mais, ser uma moto muito resistente. Observei-a totalmente alinhada (não houve nenhum choque frontal) e funcionando perfeitamente toda viagem. É uma bela moto. Terei saudade quando vendê-la.

Amigos, aqui em Santo Ângelo, no dia 31, brindarei a minha vida, a minha sorte (que espero nunca mude), a vida (e ao coração) de meus familiares e, em especial, para que eles – os seus corações - sejam sempre fortes kkk. Com a mesma vontade e intensidade, brindarei à saúde e à felicidade de todos vocês.

A todos nós um maravilhoso 2012.














video

8 comentários:

  1. Caramba Gilson! Que barra. É, eu sempre fico pensando nesses riscos quando estou em viagem solo (a maioria!). Mas que bom saber que está tudo bem e que estás a salvo. O mais importante disso tudo é que continuamos a tê-lo entre nós para ouvir sua histórias e dar boas risadas.

    Amanhã (hoje) também brindarei a você ao seu competente anjo da guarda.

    Fraterno abraço

    Bruno

    ResponderExcluir
  2. Gilson! Tais incidentes fazem parte da aventura e viver implica em termos certos riscos. Que bom que estás bem, sem maiores problemas. Tudo passa a ser um grande aprendizado, agregando mais informações as tuas páginas da vida.. Espero que o amigo se recupere para prosseguir com qualidade sua viagem.. Desejo também, um FELIZ ANO NOVO, com muita saúde, prosperidade e que os anjos da guarda sempre estejam ao teu lado te protegendo e guiando..

    ResponderExcluir
  3. Hermanito ! Nada acontece por simples acaso. Bom saber que estás bem. Estou tentando te ligar, sem sucesso !

    Hablamos después !

    Suerte y que venga 2012 !

    ResponderExcluir
  4. É isso ai indio guapo missioneiro. Só nós os viajantes solitários sabemos como são essas aventuras. Depois do tombo sempre vem a vontade de voltar e fazer tudo denovo. Haja teimosia.
    E quanto a XT 660, to contigo e não abro. É uma moto indestrutível e guerreira. Tambem voltei da última viagem com ela inteira apesar de tudo que fiz ela passar. Só não abro mão de criticar veementemente o pós venda da Yamaha.
    Abração maninho e feliz ano novo.

    ResponderExcluir
  5. Primeiramente, muito bom ter notícias suas após uma ausência de praticamente 5 dias. Confesso que o coração véio, já estava aos apertos e a cada meia hora entrava no blog e no mural pra ver se tinha notícias!
    Muito triste em saber que nossa viagem foi abruptamente interrompida por um tirombasso, em forma de pedra... se fosse tu menos gigante do que és, com certeza a famigerada pedra teria passado ao largo de sua cabeça, kkkkkkk!!!!!!!!!
    Agora vêm o pito, aproveitando e dando sequência a seu médico!
    Como é que tu se mete numa baita "encrenca" dessas e não avisa sua família, BR, que tenho certeza não iria se omitir e partiria em comboio rumo a seu encontro?!?!?!
    Pilotar, aproximadamente, 2.600Km com uma costela esquerda quebrada, a ponto de perfurar um pulmão ou até mesmo esse enorme coração que pulsa sem parar dentro de ti, é prova de no mínimo um parafuso a menos!(O butiá deve ter corroído as porcas de pelo menos meia dúzia de parafusos nessa sua cachola!!!!
    Agora que estas bem, e no abrigo do seu lar, lhe digo uma coisa, e penso que toda nossa querida família compartilha essa opinião comigo, de minha parte só haverá perdão, de seu silêncio ensurdecedor, se tu aproveitar o bonde missioneiro que parte mês que vem daí rumo a Piracicaba, e vir pagar sua multa pessoalmente!!!

    Brincadeiras a parte meu hermanito, devo lhe dizer a seguinte frase:
    "NÃO NOS ASSUSTE MAIS DESSA FORMA"
    Pessoalmente lhe falarei a frase no portugues correto, rsrsrs

    BOM TÊ-LO NOVAMENTE CONOSCO, QUE O GRANDE CRIADOR LHE DÊ UM NOVO ANO CHEIO DE ALEGRIAS E REALIZAÇÕES... E MENOS PEDREGOSO!!!


    FORTE ABRAÇO!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Bom saber que já estás no calor da família. Em 2010 também rodei com 2 costelas fraturadas em Bs As, fui até Fiambalá e resolvi voltar (suerte). Doia mas a gasolina que roda em nossas veias nos impulsionam sempre para a frente.
    Cheguei ontem também da Argentina. Na ida o Luiz Henrique e o Nico, aqui de Floripa, também encontram o limite (chão).
    Abs,

    Edson Mesadri

    ResponderExcluir
  7. Concordo com o Júnior: Parem de andar com costelas quebradas (você também Edson Mesadri), pois a consequência pode ser grave.

    Sobrecarregar a moto, vá lá, mas os anjos da guarda não gostam disso.

    No caso SEPÉ certamente deu uma mãozinha !

    ResponderExcluir
  8. Fico feliz por você ter saído dessa "inteiro", mano Gilson!!
    Estimo suas mlehoras!!!
    Enorme Abraço

    ResponderExcluir